Crítica à Razão Acadêmica II

07/08/2017 14:00

Um livro que analisa a universidade que temos e aponta para a “Necessária” (Darcy Ribeiro), a que queremos. O academicismo, o eurocentrismo, o pós-modernismo, enfim, os modismos em geral, não apenas tornam as universidades inúteis para a grandeza de seus respectivos países, como as transformam em cativas de um pensamento colonizado metropolitano, fazendo-as abdicar de seu papel de superar o subdesenvolvimento e de romper a dependência.

O livro trata da origem da universidade; das ditaduras de segurança nacional e seu direcionamento nas pesquisas; do autoritarismo dos docentes ao impor aos estudantes as reformas curriculares; da miséria humana e pedagógica que toma conta dos departamentos, com uma competição desmedida entre seus pares e com grupos ditos de pesquisa que se protegem como gangues; da duvidosa seleção de estudantes para o sistema de pós-graduação; da universidade internacionalizada que nada mais é que uma universidade colonizada; enfim, da universidade reprodutora dos interesses das classes dominantes. O livro traz ainda um texto sobre a comunicação pública, particularmente o processo vivido na UFSC durante a gestão da primeira reitora da história dessa instituição, que esterilizou e renunciou a uma Agecom produtora de notícias para a região.

Em tempos de céus sombrios e incertos, o livro quer ser um foguete que ilumina, mas que explode também. No popular: enquanto houver bambu, vai flecha!