UFSC » Centro de Filosofia e Ciências Humanas
CFH

1ª Olimpíada Brasileira de Geografia
Publicado em 17/04/2015 às 10:58

Docentes do curso de Geografia  divulgam a 1ª Olimpíada Brasileira de Geografia (OBG), que é voltada para estudantes das escolas públicas e particulares do Brasil, desde o 9° ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio. A Comissão Organizadora da OBG – COOBG está sendo formada por uma equipe voluntária de  professores de várias instituições Brasileiras, como eu, Prof. Dr. Harrysson e Prof. Drª. Kalina do MEN. Segue o link para mais informações, assim como o cronograma. Solicitamos divulgação da mesma.

Olimpiadas Brasileira de Geografia

UFSC informa que não haverá expediente nos dias 20 e 21 de abril
Publicado em 17/04/2015 às 10:56

A UFSC informa que, nos dias 20 e 21 de abril, não haverá expediente na instituição. Nos setores onde houver prestação de serviços essenciais à comunidade, o expediente deve ser mantido.  Maiores informações no site da UFSC.

4º Colóquio de Estudos Medievais discute a temática ‘O Mal’
Publicado em 14/04/2015 às 18:12

O Núcleo Interdisciplinar de Estudos Medievais (Meridianum) convida os interessados a participar do IV Colóquio de Estudos Medievais, tendo como temática “O Mal”. O evento será realizado entre os dias 23 e 24 de Abril, no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC. Inscrições gratuitas até 22 de abril. Certificado de 16 horas.

Mais informações: (48) 9635-4556

http://meridianum.ufsc.br/2015/04/iv-coloquio-meridianum-o-mal/

Diversidade, emoção e conquista: primeira formatura de Licenciatura Intercultural Indígena da UFSC
Publicado em 09/04/2015 às 17:49

Primeira-formatura-Licenciatura-Indígena-Foto-Henrique-Almeida-81-300x199_diplomaO juramento na colação de grau da primeira turma de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica da UFSC, na noite de quarta-feira, 9 de abril, falava de cultura, liberdade, autonomia, luta pela terra, autodeterminação, alegria e crianças sadias. Os discursos reiteravam a preocupação com o futuro e com manter tradições e costumes para os filhos. Pois eles estavam lá. Mais ainda do que a média habitual das formaturas, a cerimônia estava repleta de crianças, famílias e amigos, muitos dos quais vieram de longe para a ocasião: os formandos – das etnias guarani, kaingang e laklãnõ/xokleng  são provenientes do Mato Grosso do Sul (MS), Espírito Santo (ES), Rio de Janeiro (RJ), Santa Catarina (SC) e Rio Grande do Sul (RS).

Pouco antes do início da cerimônia, o kaingang Armandio Bento, 48 anos, (“21 deles como professor”, faz questão de ressaltar) não aparentava nervosismo. “Estou tranquilo e muito feliz. Agora poderei trabalhar com turmas mais avançadas, e podemos aprimorar as escolas indígenas na minha cidade”, comemorava. A cidade a que ele se refere é Redentora, no Oeste do Rio Grande do Sul (RS), com população de pouco mais de 10 mil pessoas. “Nossas principais atividades lá são o artesanato e a agricultura, e queremos continuar com essas coisas, mas também levar mais saúde e valorizar cada vez mais o estudo”, prevê.

Primeira-formatura-Licenciatura-Indígena-Foto-Henrique-Almeida-58-300x199_o grauFamiliares e amigos que vieram com os formandos já se reuniam nos arredores do Centro de Cultura e Eventos desde o meio da tarde. Os trajes de formandos e convidados mostravam a diversidade também no estilo: adereços tradicionais, como cocares e colares, misturavam-se a roupas formais e a Primeira-formatura-Licenciatura-Indígena-Foto-Henrique-Almeida-75-199x300_formandotrajes esportivos. Nos pés, sapatos impecavelmente engraxados, tênis, sandálias, tamancos e chinelos.

Com 11 pessoas na “torcida”, o xokleng Woie Patté, de José Boiteux, era um dos mais animados, tanto na hora de subir ao palco para tomar o lugar na cerimonia quanto na hora de receber o diploma: entrou, acenando para a família; abriu os braços; inclinou-se para agradecer; quando pareceu que ia sentar-se, caminhou de volta em direção à plateia – e foi aplaudido à altura. “É uma noite de muita alegria, estou emocionado mesmo”, diz. Ele trabalhava como agente de saúde e resolveu aproveitar a oportunidade de fazer uma graduação e iniciar uma carreira acadêmica – agora, os planos incluem mestrado e doutorado.

O discurso dos oradores ressaltava a importância das tradições culturais e da demarcação de território indígena. “Não importa o povo ou etnia a que pertencemos, somos todos irmãos, filhos desta terra”, lembraram. A voz chegou a falhar por causa da emoção quando dois colegas foram lembrados: Natalino e Eduardo, que são parte da turma, mas faleceram antes de terminar o curso. A paraninfa Maria Dorothea Post Darella prestou uma homenagem especial à formanda Maria Cecilia Barbosa, que se tornou bisavó enquanto fazia o curso. O presidente da Funai, Flávio Chiarelli Vicente de Azevedo, também compareceu à cerimônia.

Foi o cuidado com a família e seu povo que impulsionou o primeiro formando da noite, o guarani Adelino Gonçalves, a completar o curso, após quase haver desistido. Morador de Biguaçu (SC), conta que a rotina de trabalho e estudos ficou forçada demais, e ele quase largou a graduação pela metade. “Mas eu sei que isso vai fazer uma diferença para nós. Tenho que espalhar esse conhecimento, temos que mostrar as coisas que aprendemos e valorizar o que ensinamos. A experiência de convivência foi muito importante; um dos motivos para os não índios não respeitarem nossa cultura como deveriam é porque não a conhecem”, observa.

Veja mais fotos.

Licenciatura Indígena da UFSC forma primeira turma na próxima quarta, 8 de abril
Publicado em 02/04/2015 às 18:47

A Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica (LII), iniciada na UFSC em fevereiro de 2011, forma sua primeira turma no dia 8 de abril de 2015, no Centro de Cultura e Eventos, às 19h30. O curso é composto por alunos Guarani, Kaingang e Laklãnõ/Xokleng, provenientes dos estados de Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e tem como substrato a questão territorial, os direitos territoriais. Daí seu eixo norteador denominar-se “Territórios Indígenas: A questão fundiária e ambiental no Bioma Mata Atlântica”.

Todos os cursos de Licenciatura Intercultural Indígena no Brasil pressupõem metodologicamente a instituição da pedagogia da alternância, que viabiliza a experiência que agrega Tempo-Universidade (TU) e Tempo-Comunidade (TC). O TU é constituído por períodos presencias e intensivos de formação no Campus de Florianópolis e/ou nas escolas em Terras Indígenas ou o mais próximo delas. No total, foram 20 etapas intensivas de duas a três semanas. Já o TC destina-se a estudos orientados, projetos de pesquisa e de intervenção comunitária. No TC, a participação de sábios e especialistas indígenas foi um recurso para a aprendizagem.
Continue a leitura »

Lançamento do Almanaque d’Elas “Ah! Então, eu sou feminista” da Rede Feminista
Publicado em 30/03/2015 às 7:45

“Ah! Então, eu sou feminista” essa é conclusão que a leitora e o leitor terão depois de ler o “Almanaque Feminista”.

A publicação da Rede Feminista de Saúde surge com a proposta de uma abordagem mais popular sobre temas relacionados ao feminismo e à questão de gênero, trazendo assuntos ainda considerados tabus ou de aspecto intelectualizado, para que alcancem o conhecimento de um maior número de pessoas, de maneira mais informal e objetiva.

O conteúdo do Almanaque Feminista será semelhante ao de qualquer outro, com textos, tiras, curiosidades, imagens – conteúdo diverso, abordado com leveza e direcionado ao feminismo.

A publicação é um desdobramento do projeto “Feminismo em Gestão”, promovido pela Rede Feminista, em parceria com a Casa da Mulher Catarina e com o Fundo Elas. A ideia surgiu através de um projeto de formação e se estende à divulgação e socialização dos temas abordados. A publicação será lançada no dia 30 de março, às 20h no Auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), em versão impressa e eletrônica.

Políticas Públicas de Gênero no Governo Dilma” e lançamento de livros
Publicado em 30/03/2015 às 7:41


No dia 30 de março (segunda-feira), das 18h30 às 20h, haverá mesa-redonda sobre ‘Políticas Públicas de Gênero no Governo Dilma’ com a assessora especial da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR), Sônia Malheiros Miguel, no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFSC (CFH/UFSC).

Após a mesa, haverá lançamento dos livros do Fazendo Gênero 10 e últimas edições da Revista Estudos Feministas. Na ocasião, também será lançado o almanaque da Rede Feminista “Ah! Então, eu sou feminista.

VIII ENGRUP – Encontro de Grupos de Pesquisa: Agricultura, desenvolvimento regional e transformações socioespaciais
Publicado em 26/03/2015 às 8:57

Entre os dias 29 de março e 01 de abril do presente, o LabRURAL – Laboratório de Estudos do Espaço Rural realizará o “VIII ENGRUP – Encontro de Grupos de Pesquisa: Agricultura, desenvolvimento regional e transformações socioespaciais”.

Trata-se do evento bianual de uma rede de doze Grupos de Pesquisa na área de geografia agrária/rural, nucleados em universidades de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Goiás.

O objetivo do ENGRUP é promover estudos e debates sobre o uso do espaço rural em pequenas unidades de produção e sua articulação com o desenvolvimento regional. Para este Encontro, está prevista a participação de cerca de 70 pesquisadores, distribuídos em seis Grupos de Trabalho. A programação completa do evento pode ser consultada no blog http://viiiengrup.blogspot.com.br/.

Grupo de estudos EMAE/UFSC convida para as reuniões do 1º semestre de 2015
Publicado em 25/03/2015 às 15:50


O Grupo de Estudos Avançados em Meio Ambiente e Economia no Direito Internacional – EMAE/UFSC convida todos os interessados, sem necessidade de vínculo institucional, para as reuniões coordenadas pela Profª Dra. Cristiane Derani. A próxima reunião ocorrerá no dia 09 de abril, quinta-feira, das 12h30 às 14h, na Sala dos Conselhos, 4º andar do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) da UFSC. No final do semestre será fornecido aos participantes um certificado de 30 h/a de atividade de extensão.
Materiais e outras informações estão no site http://emae.ufsc.br

I Seminário Nacional: Partidarismo, Militantismo e Comportamento Eleitoral no Brasil – 25 a 27 de março
Publicado em 20/03/2015 às 18:55

Cartaz Sociolo

Local: Auditório do EFI

Promoção: Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política – UFSC. Apoio: CNPQ

Objetivos:  O presente evento se propõe a ser um espaço institucional de reflexão sistemática sobre o campo dos partidos políticos, em especial quanto a relação entre eleitores, partidos e a decisão do voto. Ao se conferir uma dimensão sistemática ao evento, temos condições de privilegiar determinados temas em cada uma de suas edições. No caso da primeira edição, nossa proposta é que o foco do evento esteja concentrado no Partido dos Trabalhadores (PT).

Cronograma, Mesas e Grupos de Trabalho: Ver detalhes em
http://www.sociologia.ufsc.br/site/arquivos/634_cartaz.3.jpg

  • Administradores do Site
  • 1960 - 2015 - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) | Central Telefônica - (48) 3721-9000 |
  • Última atualização do site foi em 17 de abril 2015 - 10:58:26
SeTIC
Páginas UFSC